Menu

Volta às aulas ainda representa risco à vida

Sinpro considera que o calendário é prematuro

NOTA PÚBLICA DO SINDICATO DOS PROFESSORES DE CAXIAS DO SUL

Diante do cronograma de volta às aulas presenciais apresentado pelo governo do estado do Rio Grande do Sul, prevendo retorno gradual a partir do dia 8 de setembro, alertamos a comunidade caxiense:

- o calendário é prematuro, considerando o quadro da pandemia em Caxias do Sul. As crianças podem ser transmissores silenciosos do vírus, colocando em risco a saúde - e até a vida - de professores, funcionários, estudantes e de suas famílias;

- a decisão contraria uma ampla parcela de setores da sociedade gaúcha, que entende não ser o momento para a retomada de aulas presenciais, pois o estado ainda apresenta altas taxas de contaminação e mortes pelo novo coronavírus;

- nota da Famurs (entidade que reúne prefeitos e municípios do RS) afirma que o estudo apresentado pelo Executivo não levou em consideração o estágio da pandemia no estado, na comparação com outros estados brasileiros e países, e não considerou um programa efetivo de testagem;

- de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), o retorno de aulas presenciais onde a pandemia está fora de controle pode agravar a transmissão. Como alertou o diretor de emergências da Organização, Michael Ryan, a retomada só deve ocorrer após a implementação de uma política de rastreamento e isolamento de infectados pela covid-19;

- a experiência internacional demonstra que mesmo países bem-sucedidos no controle da pandemia registraram um salto no número de contágios após abrir escolas;

- os interesses de grupos privados não devem se sobrepor ao consenso científico e à opinião da comunidade escolar.


Sendo assim, nos posicionamos contrários à definição de calendário de retorno neste momento. Os professores querem voltar às aulas presenciais, mas com segurança à vida e à saúde de todos.