Menu

Terça é Dia de Lutas contra a Reforma da Previdência e em defesa dos direitos

Terca e dia de lutas contra a reforma da previdencia e em defesa dos direitos | Foto: Rose Brogliato

Nesta terça-feira, 5 de dezembro, sindicatos e movimentos sociais de Caxias do Sul realizam mobilizações contra a Reforma da Previdência e em defesa dos direitos. Na parte da manhã, às 10h, haverá concentração em frente à agência local da Previdência Social (INSS). À tarde, será realizado um Ato Público na praça Dante Alighieri, a partir das 17h. A decisão foi tomada no coletivo dos movimentos sociais, reunindo diversos sindicatos, como Sindiserv, Sindilimp, Sindicomerciários, Sindisaúde, Sindiref, Sinpro/Caxias, Sintep/Serra, Rodoviários, Construção Civil, Desenhistas, CPERS, FEMERGS, Bancários, entre outros, e representantes da União de Associações de Bairros, União Brasileira de Mulheres e Diretório Central de Estudantes da UCS. 

Inicialmente as principais centrais sindicais do país haviam marcado greve para a data, pois a votação da Reforma da Previdência (Proposta de Emenda à Constituição – PEC - 287/2016, que altera as regras do sistema previdenciário) estava prevista para o próximo dia 6. Como o governo Temer retirou a proposta da pauta da Câmara dos Deputados, a greve foi suspensa. Porém, para reforçar o recado das centrais ao governo, “Se botar para votar, o Brasil vai parar”, serão realizados atos nas capitais do país e em várias cidades, denunciando os prejuízos que a Reforma traria a todos os trabalhadores. 

O movimento pretende desmentir a propaganda feita recentemente pelo governo Temer sobre a Reforma da Previdência. A propaganda foi suspensa pela Justiça Federal no Distrito Federal, atendendo a um pedido apresentado pela Associação Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal do Brasil (Anfip). Na liminar, a a juíza Rosimayre Gonçalves de Carvalho, 14ª Vara, afirma que o conteúdo veiculado induz a sociedade ao erro por afirmar que a culpa do déficit orçamentário é do funcionalismo público e que apenas esse setor será afetado. Segunda a juíza, a propaganda “veicula a desinformação” ao falar que sobrarão mais recursos para saúde, educação e segurança, uma vez que as fontes de custeio para as áreas são diferentes.

Os dirigentes sindicais e de movimentos sociais de Caxias do Sul têm a mesma opinião das lideranças nacionais: a Reforma da Previdência, que o governo pretendia ter aprovado no início de 2017, foi barrada até agora pela pressão dos movimentos sociais.