Menu

Paulo Ribeiro lança "O Papa era um Rolling Stones"

 O Papa era um Rolling Stones

Novo romance traz referências históricas e culturais em uma trama fictícia envolvendo música e política

O escritor Paulo Ribeiro, que foi durante muito tempo professor na Universidade de Caxias do Sul (UCS), lança sua terceira obra em 2018 e a 27ª de sua carreira literária, iniciada há mais de 30 anos. O livro O Papa era um Rolling Stones tem sessão de autógrafos no dia 15 de dezembro, às 17h, no Arco da Velha Livraria e Café, em Caxias do Sul. Com 104 páginas e selo editorial da Voxmídia Editora, o livro será disponibilizado pelo valor promocional de R$ 20,00 no evento de lançamento.

A riqueza dos personagens, a peculiaridade do vocabulário e a intensidade dos sentimentos desta nova obra remete ao que Vitor Ramil avaliou para considerar "Vitrola dos Ausentes", também do autor, como uma das 10 melhores obras da literatura brasileira contemporânea. A verve bem-humorada dos bom-jesuenses também está presente em "O Papa era um Rolling Stones", que tem o choque como tônica: entre gerações, entre diferentes culturas, entre o poder político e o viver cotidiano.

O romance traz referências históricas reais ou fictícias, como as torturas do Regime Militar, as nunca suficientemente esclarecidas mortes de Castelo Branco e de Jango, ou um inusitado encontro, em Nova Iorque, entre John Lennon e Leonel Brizola em sua época de exílio americano. “Há uma liberdade poética na condução do enredo, que é a jamais acontecida visita dos Beatles ao Brasil. E eles vão fazer o antológico show do disco Rubber Soul exatamente numa brizoleta, as pequenas escolas criadas por Brizola. Ora, a intenção é resgatar a suprema base de todo o país digno e com justiça social: a educação.” ─  destaca o autor.

Além de "Vitrola dos Ausentes", Ribeiro é autor de "Iberê", um romance-reportagem sobre o pintor. Recentemente, conquistou o Prêmio Vivita Cartier de Literatura com a obra "O Transgressor" (publicada em 2017 pela Kotter Editorial, de Curitiba). Em 2018, editou, ambos pela Kotter, "Um Cara Coçava as Costas da Minha Mãe no Baile" (romance) e "Olhos Castrados" (romance).

A capa e o design gráfico do livro são de Ernani Carraro, publicitário caxiense com trabalhos reconhecidos pelos prêmios Açorianos de Literatura (2016)  e  Minuano de Literatura (2018).

 

PROGRAME-SE

O QUÊ: Lançamento do livro O Papa era um Rolling Stones (Voxmídia Editora, 104 páginas, promocional R$ 20)

QUANDO: dia 15 de dezembro de 2018

HORÁRIO: 17h

ONDE: Do Arco da Velha Livraria e Café - Rua Dr. Montaury, 1570 – Centro – Caxias do Sul

SINOPSE: Uma semana após lançar o antológico álbum "Rubber Soul", em 1965, The Beatles vieram ao Brasil, ao Sul, e realizaram um show em uma brizoleta, as escolas interioranas criadas por Leonel Brizola. Honestino Mentiroso é um dos jovens que assistiu ao show e, ao nascer o seu filho, lhe dá o nome de Leonel Lennon. E o menino tem então sua formação musical escondida do pai, um beatlemaníaco inveterado, que o proíbe de escutar outras músicas senão dos Beatles. Escutar Rolling Stones era uma heresia, e o menino é flagrado ouvindo não Rolling Stones, mas uma canção em homenagem aos Rolling Stones. O menino é punido severamente por isso, o que refletirá no seu futuro e vida desordenada na adolescência perdida.

O romance traz referências históricas reais ou fictícias, como as torturas do Regime Militar, as nunca suficientemente esclarecidas mortes de Castelo Branco e de Jango, ou um inusitado encontro, em Nova Iorque, entre John Lennon e Leonel Brizola em sua época de exílio americano.