Menu

Etapas local e estadual da Conape discutem conjuntura educacional

Vários representantes do Sinpro-Caxias participaram do processo A mesa apresentou os objetivos da Conape e os cenários da educação O SInpro-Caxias esteve representando por vários integrantes da diretoria Participantes decidiram manter a mobilização conjunta

No dia 7 de março, representantes de entidades ligadas à educação de Caxias do Sul, Bento Gonçalves e Montenegro se reuniram para realizar a etapa local da Conferência Nacional Popular de Educação (Conape). O Sinpro/Caxias enviou vários representantes ao encontro, realizado às 18h, no Sindiserv. O evento seguiu os pressupostos de resguardar os processos participativos de construção e monitoramento dos Planos Nacional, Estadual e Municipal da Educação, buscar a contraposição aos retrocessos em andamento, como a reforma do ensino médio, além de manter a resistência e construir a mobilização pela educação.

A vice-presidente do CPERS, Solange Carvalho e a diretora da entidade, Valdete Moreira, explanaram ataques constantes do governo Sartori aos educadores e à educação pública. Elas denunciaram a redução de investimentos na educação, os salários atrasados, o processo de municipalização e o fechamento de escolas. 

Celso Stefanoski, da diretoria do Sinpro/RS, apresentou os objetivos e eixos da Conape e em seguida, Jonas Tarcísio Reis, diretor do SIMPA, relatou a luta dos municipários de Porto Alegre contra o prefeito Nelson Marchezan, que tem insistido nas tentativas de retirar direitos dos educadores. Jonas também apresentou um painel sobre o direito à educação e a escola que queremos.

Os participantes definiram a construção de um comitê permanente de defesa da educação, envolvendo as entidades presentes.

CONFERÊNCIA ESTADUAL

No dia 9 de março, sexta-feira, às 19h, o movimento teve continuidade com a realização da etapa estadual da Conape, no Teatro Dante Barone, da Assembleia Legislativa. No sábado, 10 de março, as atividades foram desenvolvidas na Faculdade de Educação da Ufrgs.

Na etapa estadual, professores, funcionários, pesquisadores, pais e alunos avaliaram a conjuntura educacional, discutiram e aprovaram emendas ao documento oficial da Conape e aprovaram a Carta do Rio Grande do Sul pela Educação, documento oficial do evento que será levado ao encontro nacional, a ser realizado nos dias 24, 25 e 26 de maio, em Belo Horizonte (MG). Foram também eleitos os delegados que representarão o Rio Grande do Sul na etapa nacional.

Na abertura da Conferência Estadual, o professor e Dr. em Educação, Gaudêncio Frigotto analisou o cenário político e social do Brasil. Ele criticou a reforma do ensino médio, aprovada pelo governo Temer: “É uma reforma que regredi e obstrui gerações. Uma traição aos alunos, filhos dos trabalhadores, ao achar que deixando que eles escolham parte do currículo vai ajudá-los na vida. Ela legaliza a existência de uma escola diferente para cada classe social”, concluiu.

“A defesa da Educação Pública e da Democracia foram os eixos principais das CONAPES regionais e a estadual. Um debate para a organização da luta pela educação pública, que está sendo tão atacada pelos governos Temer e Satori. A luta continua, e não podemos permitir que a educação pública retroceda. Lutamos pelos nossos estudantes, filhos, netos, pela população que merece uma educação pública de qualidade”, avalia Rosane Zan, diretora e responsável pelo Departamento de Educação do CPERS.

ESPAÇO DE RESISTÊNCIA

Uma resposta dos movimentos populares e da comunidade educacional ao desmonte realizado pelo Ministério da Educação no Fórum Nacional de Educação (FNE) e à protelação na organização da Conferência Nacional de Educação (Conae), essa foi a motivação para a Conape 2018, que surge como espaço de resistência e de diálogo para os diversos atores envolvidos com educação no Brasil.

Com informações de CPERS e Sinpro/RS | Fotos Rose Brogliato e Liliane Viero